0
0
0
0
0
0
0
0
0
ou copiar este link

Transtorno Do Desejo Sexual Hipoativo (TDSH ou
Desejo Sexual Hipoativo (DSH) ou
Distúrbio De Desejo Sexual Hipoativo Generalizado Adquirido (HSDD na sigla em Inglês)

A sexualidade é considerada como um aspecto central da vida humana, a qual é vivenciada e expressa em pensamentos, fantasias, desejos, crenças, atitudes, valores, comportamentos, práticas, papéis e relações.

A saúde sexual é diretamente afetada pelas relações afetivas e interpessoais, pela qualidade de vida, pela estrutura social e cultural da sociedade, aspectos que interferem no comportamento sexual masculino e feminino.

O desejo sexual é um fenômeno subjetivo complexo que envolve as fantasias sexuais, os sonhos sexuais, a iniciação do comportamento sexual, a receptividade ao parceiro sexual, as sensações genitais, as respostas aos sinais eróticos no meio ambiente, entre outros fatores.

Leiblum e Rosen (1988) descreveram que o desejo sexual é um estado de sentimento subjetivo e motivador ativado por sugestões internas e externas que pode ou não resultar em um comportamento sexual efetivo.

O TDSH tem sido muito referido pelas mulheres e é constituído pelas fases de desejo, excitação, orgasmo e resolução ou relaxamento, com o diferencial de que as respostas femininas resultam mais da necessidade de intimidade, do que propriamente de uma estimulação sexual física e a motivação para que as mulheres tenham atividade sexual baseia-se em recompensas não necessariamente sexuais, como a intimidade, o contato, o desejo de agradar o parceiro. Tratar o TDSH feminino é uma realidade, visto que sua etiologia ou causa já é conhecida.

Sabe-se hoje que duas disfunções no cérebro aparentemente estão associadas à falta de apetite sexual: de um lado, contenção excessiva partindo do cérebro frontal inferior; de outro, falta de imaginação erótica, perceptível pela reduzida atividade no lobo parietal inferior e nas áreas pré-motoras.

Pesquisadores consideram, porém, que isso não significa necessariamente que tais disfunções causaram a falta de apetite sexual nem que o transtorno possa ser tratado apenas com medicamentos; a psicoterapia está igualmente associada a mudanças no cérebro. Também na área da sexualidade, corpo e psique devem ser compreendidos como os dois lados da mesma moeda

Flibanserin é um medicamento usado para aumentar o desejo sexual de mulheres que têm este desejo diminuído ou ausente e nas diagnosticadas com transtorno do desejo sexual hipoativo.
Este remédio é produzido pelo laboratório Sprout Pharmaceuticals e o seu principio ativo é Flibanserin e, só deve ser usado por indicação médica.

Desejo Sexual Hipoativo como conduzir (PDF)
Collaborative Outcomes Webcast Slides 021916 (PPTX)
Collaborative Outcomes Webcast 2 Slides 041216 (PPTX)
Collaborative Outcomes Webcast 4 Slides 081216 (PPTX)

0
0
0
0
0
0
0
0
0
ou copiar este link

Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE) e Cleveland Clinic:
Projeto de economia em saúde em litíase urinária

Após a observação do estudo, elaborado pelo setor de economia do HIAE, foi possível concluir que:

– Observa-se que após a consultoria realizada os procedimentos abaixo elencados sofreram uma modificação com impacto direto nos custos e sua respectiva variabilidade. Houve redução de aproximadamente 26% no custo médio e diminuição da variabilidade em 83% .

– O retorno de investimento (ROI) foi de 38 meses podendo este ser ainda menor com as modificações demostradas pelo estudo.

– O HIAE ao contratar a consultoria da Cleveland Clinic buscou uma solução para este impasse administrativo burocrático que é a redução significativa na variabilidade na prática médica ocasionando uma menor variabilidade de custos e consequente aumento na receita com a manutenção da qualidade de atendimento aos seus pacientes, sem deixar de satisfazer as técnicas médicas adequadas dos cirurgiões da área de urologia.

Leia mais: TCC Insper final 2016 para publicacao PDF

 

0
0
0
0
0
0
0
0
0
ou copiar este link

Disfunção erétil e alimentos tem uma relação importante.

Veja a matéria que mostra o que ajuda e o que atrapalha nas ereções.

Leia mais: 8 ALIMENTOS QUE TE AJUDARÃO A GARANTIR BOAS EREÇÕES

0
0
0
0
0
0
0
0
0
ou copiar este link

Pimenta, Pimenta, Nós moscada e Cravo auxiliam na ereção. Eles vão atuar nos radicais livres.

pimenta

0
0
0
0
0
0
0
0
0
ou copiar este link

No PET/CT realiza-se a injeçao venosa de substâncias marcadas, chamadas de radiofármacos, no paciente. A mais utilizada é a glicose marcada, fluoro-2-deoxi-glicose (FDG). O FDG tem tendência a se concentrar nas áreas onde está o tumor. Após a injeção, é feito um rastreamento em todo o paciente, para localizar se o FDG se concentrou em algum local e onde isso aconteceu (locais onde pode ter tumor).

Atualmente o PET/CT é utilizado para avaliação pré e pós tratamento em uma série de tumores. Contudo, no câncer de próstata, os resultados alcançados com o exame do PET/CT não eram muito animadores. Isso começa a mudar com o advento de umnovo radiofármaco, o 68 GA-PSMA.

Esse novo radiofármaco se baseia na presença de uma proteína na superfície das células do câncer de próstata: o antígeno de membrana específico da próstata. Essa proteína é encontrada tanto no tumor localizado na próstata quanto nos focos de metástase, quando presentes.

Em 2015 foi publicado o primeiro estudo prospectivo avaliando o PSMA-PET/CT em pacientes com câncer de próstata que apresentaram recidiva bioquímica após o tratamento local.

Recidiva bioquímica é o termo utilizado pelos médicos quando ocorre elevação do PSA (exame de sangue) após o paciente com câncer de próstata ter sido submetido a cirurgia ou a radioterapia. Muitos dos pacientes com recidiva bioquímica após a cirurgia são tratados com radioterapia de resgate.

Os pesquisadores australianos avaliaram o PSMA-PET/CT em 38 pacientes com câncer de próstata com recidiva bioquímica, a maioria após a cirurgia. Os principais achados desse estudo foram:
– Com o PSA menor que 0,5 ng/ml, 50% dos exames foram positivos com o PSMA-PET/CT.
– Com o PSA entre 0,5- 2,0 ng/ml, 71% dos exames foram positivos com o PSMA-PET/CT.
– O PSMA-PET/CT foi superior ao outro radiofármaco utilizado, o 18F-fluoromethilcholine.
– O PSMA-PET/CT modificou o tratamento que os médicos estavam planejando para seus pacientes em 63% dos casos.

Atualmente, apenas alguns poucos centros no Brasil realizam o PSMA-PET/CT. Muito ainda temos que aprender a respeito desse novo radiofármaco e suas implicações no câncer de próstata. Os resultados iniciais, contudo, são animadores e muitos especialistas acreditam que o PSMA-PET/CT será cada vez mais utilizado. O Hospital Israelita Albert Einstein realzia o exame regularmente.

Referência:
www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26112024

INTERPRETAÇÃO:
Acúmulo anômalo do PSMA \T\#x2013; Ga68 em duas lesões focais primárias na zona periférica prostática à esquerda, com sinais deextensão extracapsular.
Não se identificam outros sítios de acúmulo anômalo do PSMA \T\#x2013; Ga68 nas demais regiões estudadas, evidenciáveis pelo método.

Imagens:
IMG_6896IMG_6897IMG_6898

 

SOURCE:
Nucl Med Commun. 2015 Jun;36(6):582-7. doi: 10.1097/MNM.0000000000000290.
Evaluation of PSMA PET/CT imaging using a 68Ga-HBED-CC ligand in patients with prostate cancer and the value of early pelvic imaging.
Author information
Kabasakal L1, Demirci E, Ocak M, Akyel R, Nematyazar J, Aygun A, Halac M, Talat Z, Araman A.

PURPOSE:
The aim of the study was to evaluate the diagnostic value of the prostate-specific membrane antigen (PSMA) ligand (68)Ga-HBED-CC (PSMA PET/CT) in patients with prostate cancer and evaluate the value of early imaging of the pelvis.

MATERIALS AND METHODS:
The files of 28 patients were retrospectively evaluated. All patients had a histopatological confirmation of prostate cancer. PSMA PET/CT images were obtained at 5 and 60 min after injection from all patients.

RESULTS:
Intense pathologic radiotracer uptake was observed in 23 patients (77%) at the site of primary tumour. Lymph node metastases were detected in 10 patients (36%) and bone metastases were detected in seven patients (25%). Bone scan (n=25) results revealed metastatic bone lesions in four patients, equivocal results in nine patients and normal results in 12 patients. PSMA PET/CT confirmed bone metastases in all four patients. Pathologic radiotracer uptake in PSMA PET/CT scans was observed only in one patient among those who had equivocal bone scans. PSMA PET/CT showed additional bone lesions in two patients who had a normal bone scan. When we compared early and late pelvic images we found no difference in the number of lesions detected. The maximum standardized uptake value (SUV(max)) for primary tumour, lymph nodes and bone metastases was significantly higher in late images.

CONCLUSION:
PSMA PET/CT imaging seems to be a valuable imaging modality for evaluation of primary prostate cancer and it seems to have potential for the detection of lymph node and bone metastases. Early images 5 min p.i. can help to better distinguish between urinary bladder (before tracer accumulation occurs) and tumour lesions.