0
0
0
0
0
0
0
0
0
ou copiar este link

HPV-Papilomavírus – Atualização de 2014:
Infiormações importantes sobre a recidiva da doença, local e risco para desenvolver Câncer de Pênis e Câncer de Reto e Canal Anal

 

Existe tratamento para quem tem infecção pelo HPV, mas não tem lesões identificadas no exame clínico feito pelo Urologista ou na Peniscopia?

O médico apenas trata a doença causada pelo HPV (Papilomavírus)  como as verrugas genitais e lesões no pênis, pele scrotal, virilha e reto e canal anal. A infecção pelo HPV diagnosticada por métodos de biologia molecular e sem lesões no exame físico específico realizado por urologista treinado e pela Peniscopia ,não precisa ser tratado e se chama infecção latente pelo HPV (em outras palavras poderíamosdizer que o vírus “adormece” dentro da célula e não existe replicação viral).

Quem combate verdadeiramente o vírus é o sistema imune do indivíduo infectado. Em condições habituais, o HPV demora em média cerca de 12 meses (de 8 meses a 24 meses) para ser eliminado do organismo.

Na infecção latente, não existe risco de passar o vírus para outras pessoas.

 

Mesmo após realizar tratamento das lesões induzidas pelo HPV (verrugas genitais e lesões do PÊNIS E RETO, os testes de biologia molecular continuam positivos?

Mesmo após a “cura” das lesões que o médico tratou, os testes de biologia molecular (hibridização molecular e captura híbrida) ainda ficaram positivos até o organismo eliminar totalmente o vírus, o que demora de 8 a 24 meses.

Por isso não adianta ficar ansioso e realizar exames muito frequentes. Recomendam-se exames semestrais/anuais para controle após cura da doença clínica.

 

Existe alguma novidade na prevenção das doenças pré tumorais nos genitais?

Os estudos continuam avançando, existem 2 vacinas :

*  “vacina quadrivalente recombinante contra papilomavirus humano (tipos 6,11, 16 e 18 )”. É produzida pela Merck Sharp & Dome e já é aprovada pela Anvisa e portanto já comercializada no Brasil
*  vacina ainda não aprovada pela ANVISA ( nos EUA e Europa é chamada de “Cervarix “), produzida pela Glaxo Smith Kline.Essa vacina protege contra os subtipos 16 e 18.

O objetivo das vacinas é evitar a infecção pelo HPV e dessa forma prevenir a NIC. A vacina aprovada no Brasil é indicada para meninas , mulheres jovens e meninos, entre 9 e 26 anos de idade e é administrada em 3 doses sendo a segunda com intervalo de 2 meses após a 1a dose e a terceira com intervalo de 6 meses após a 1a dose. A aplicação é intramuscular e pode ser feita na braço ou coxa. Já em alguns outros países , a vacina é administrada em homens e mulheres até 45 anos ou mais.

 

Qual é o princípio do tratamento da infecção pelo HPV (Papilomavírus)  e verrugas genitais?

De modo geral, não existem medicamentos por via oral capazes de eliminar infecções por vírus. A maioria das medicações contra qualquer tipo de vírus atua na redução da carga viral e/ou estimulando o sistema imunológico a ficar mais forte para assim conseguir eliminar o vírus. No caso da infecção pelo HPV, até o momento não há tratamento para infecção latente por HPV (aquela que fica adormecida); na maioria dos casos o próprio organismo se encarrega de eliminar o vírus.

As verrugas também precisam ser tratadas, pois o atraso no tratamento das verrugas genitais pode tornar as lesões mais extensas e potencialmente mais graves, além do risco de transmissão do vírus para as parceiras. Até recentemente, a remoção das verrugas genitais era realizada basicamente pela destruição do tecido afetado por meio de cauterização química ou cirúrgica.

Esta destruição das lesões parece não apenas diminuir a quantidade de vírus como também estimular o sistema imunológico e fazer com que o sistema imunológico produza células que irão combater e eliminar o vírus. No entanto, cada indivíduo responde de maneira diferente ao tratamento. Alguns podem precisar de uma sessão de terapia, outros de várias sessões e outros não respondem a este tratamento convencional. Neste último caso deve-se utilizar ou associar a imunoterapia através de pomadas específicas para tratamento adequado.

 

É comum não responder ao tratamento por meio de cauterização química ou cirúrgica?

Na hora do procedimento, todas as verrugas são destruídas, porém logo a seguir elas voltam a crescer e este ciclo de tratamento e recorrência das verrugas pode ocorrer por semanas, meses e até anos.

Cerca de 20% das pessoas não respondem a terapia por meio de cauterização química ou cirúrgica. Nestas pessoas é necessário adicionar tratamento a base de imunoterapiacom pomadas específicas.

 

Por que as verrugas voltam a crescer se durante o tratamento o médico destruiu todas elas?

Porque existe HPV invisível a olho nu e mesmo à lente de aumento ao redor das áreas tratadas.

 

O que é imunoterapia (POMADA DE IMIQUIMOD)?

É um tratamento inovador que ativa o sistema imune de maneira bem mais específica contra o HPV (Papilomavírus) que está infectando o organismo. Hoje, existe no mercado um creme imunomodulador de aplicação tópica que contém a substância imiquimode. As taxas de recorrência das verrugas após aplicação deste creme são bem baixas. Enquanto os demais procedimentos destroem a verruga, o imunomodulador aumenta a produção local de substâncias próprias do sistema imunológico, as quais auxiliam no combate às doenças virais, determinando o desaparecimento completo das verrugas além de prevenir seureaparecimento. Este creme pode ser aplicado pelo próprio paciente e é indolor.

 

Se as verrugas genitais não forem tratadas, podem evoluir para câncer?

O papilomavírus humano (HPV) pertence a uma ampla família de vírus e mais de 45 tipos diferentes podem infectar a pele dos órgãos genitais. Quase todos os tipos foram muito bem estudados e hoje se sabe que o grupo de HPV que causa lesão pré-cancerígena ou cancerígena (chamado grupo de alto risco oncogênico) não é o mesmo que geralmente causa as verrugas genitais (chamado de grupo de baixo risco oncogênico).

Em 90-95% dos casos, as verrugas genitais são causadas por HPV (Papilomavírus) do grupo de baixo risco. Entretanto, não se deve postergar o tratamento das verrugas genitais, não apenas pelo aspecto estético desagradável, mas também pelo risco de crescimento em extensão e tamanho das lesões e alta contagiosidade (transmissão para parceiras).